quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Cultura e Identidade Surda

Cultura Surda



È tarefa difícil definir cultura surda. Podemos vislumbrar um conceito como um movimento social, formado a partir de uma minoria linguística, que está em oposição à cultura e ideologia dominantes. Os surdos procuram conviver harmoniosamente com grandes diferenças, dentre elas a mais marcante, a linguística. Esta comunidade está sempre procurando fazer valer os seus direitos políticos e sociais, lutando contra o estigma, o estereótipo, a deficiência, o preconceito, e o poder do ouvintismo.


O que poderia ser um caminho por parte da nossa sociedade predominantemente ouvinte seria o reconhecimento da identidade cultural surda.




Vivemos no século 21, portanto é conveniente que adotemos uma nova perspectiva em relação a um futuro cada vez mais próximo. E uma nova perspectiva implica preencher um espaço que outrora fora habitado por uma concepção concordante com a mentalidade vigente da época, mas que atualmente torna-se ultrapassada e não deve mais se sustentar, em seus alicerces ruinosos que não mais se alinham à superfície das novas descobertas.




Dentre as características mais marcantes da cultura surda além da língua são os artefatos culturais e tecnologias. Dentre estas destacamos: TDD, aparelho auditivo, implante coclear, Closed Caption e alerta luminoso ou vibratório em telefones e campainhas, além da poesia e contos surdos que muito traduzem a visão que o surdo tem do mundo e como pode contribuir com ele.


Identidade Surda



É fundamental olharmos para a Identidade Cultural Surda dentro de um contexto multicultural, onde a identidade é algo em questão, em construção, uma construção móvel que pode frequentemente ser transformada ou estar em movimento, e que empurra o sujeito em diferentes posições. PERLIN (1998: 52) É evidente que as identidades surdas assumem formas multifacetadas em vista das fragmentações a que estão sujeitas, face à presença do poder ouvintista que lhes impõem regras, inclusive, encontrando no estereótipo surdo uma resposta para a negação da representação da identidade surda ao sujeito surdo.




De acordo com apresentação didática da Identidade Surda, podemos analisar três dos elementos mais importantes:


Quanto a ORIGEM:


1) Surdo – filho de pais surdos


2) Surdo – filho de pais ouvintes


3) Ouvinte – filho de pais surdos




Quanto aos FATORES:


1) O surdo precisa ser exposto à cultura surda para desenvolver sua linguagem e compor sua identidade.


2) Participação nas atividades construtoras


3) Movimentos surdos – a dinâmica da comunidade


4) Conhecimento das leis e políticas de inclusão e da ética




Quanto a CLASSIFICAÇÃO:


Identidade Surda ou Política: Pessoa com identidade surda plena. É geralmente filho de pais surdos (LIBRAS Nativa) e se aceita como surdo. Luta pelos direitos e pela inclusão na sociedade. Não se esconde, mas se deixa expor naturalmente.
Híbrida: Nasce ouvinte e posteriormente torna-se surdo. Conhece a língua portuguesa falada e escrita. Mais tarde conhece a cultura surda e a Libras. Mantém relação amigável com ambas as culturas.
Flutuante: Tem dificuldade de identificação em um grupo definido, não sabe se fica com os surdos ou com os ouvintes. Quando em meio aos ouvintes disfarça a surdez e quando em meio aos surdos procura ser como eles.
Embaçada: Apresenta alto índice de desinformação, dificuldade de aprendizado, Não conhece a Libras e nem o Português, por isso tem alta limitação de comunicação com ambas as culturas e acaba por viver isoladamente.
De Transição: Aprende com certa dificuldade a comunicação oral auditiva. Filho de pais ouvintes. Mais tarde descobre a LIBRAS e dá preferência para conviver na cultura surda.
Diáspora: Relaciona-se bem com os ouvintes, luta pelos direitos surdos, procura mostrar que é resolvido e feliz. Busca incansavelmente estar bem informado sobre tudo.
Incompleta ou Intermediária: Nega a identidade surda, luta para se integrar ao ambiente do ouvinte, tentando viver como tal. Oralizado, geralmente usa aparelho auditivo e não aceita bem a Libras. Aprecia as peculiaridades culturais distintivas ouvintes como, por exemplo, a música.






Um comentário:

  1. Gostei muito do texto, Rosa. Irá me ajudar em um trabalho da disciplina de Libras no curso de Letras da UEMA. Gosto muito de Libras, mas infelizmente não tenho o tempo necessário para estudá-la. Abraço e obrigado. :)

    ResponderExcluir